<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d31896494\x26blogName\x3dO+Murm%C3%BArio+das+Ondas\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://luisgrodrigues.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://luisgrodrigues.blogspot.com/\x26vt\x3d1252768961611837838', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

domingo, março 07, 2010

seco


Dizias que quando te tocasse o cabelo haveria de sentir a espuma de cem ondas. Que nos corpos crepitariam sempre as chamas de todas as fogueiras que se acendem em Outubro para as queimadas. Que as noites seriam eternas e prenhes de estrelas e que os teus beijos seriam pêssegos maduros que colheria com a boca ao entardecer. Que o teu olhar seria devoto e o teu único medo o de me perder. Recordo-me de cada promessa enquanto te sinto lá em baixo, na cozinha, distante. Ausente. Quando descer e te acariciar sentirei apenas os teus cabelos. Não existirá a espuma nem as ondas. O eco do seu rebentar é tudo o que agora possuo. Olho pela janela do quarto e vejo o fumo de alguma queimada num quintal distante. Também eu ardo, é certo. Mas tu és eira de pedra húmida, sem lenha ou feno ou desejo de me abrasar o corpo. Não há estrelas, nem noites. Apenas manhãs rasgadas de nevoeiro. Os teus beijos são gotejar rotineiro cujo compasso exorciza devoções. Chamas-me para almoçar e eu estremeço. É a voz com que me prometeste tanto.



(imagem: "American Gothic", Grant Wood)


Air - Bach